sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Indisposto

é quando o perfume se entranha
se entrega
na carne rasgada
que as vísceras rodopiam
sibilando um prenúncio de morte
tão terrível
como o coração
que não recorda
o batimento.
é quando o perfume se despega
se desprega
das peles
e já todos os órgãos
do teu corpo
o reclamam
que entendes o revolver
do estômago tão sensível
e o desgosto gástrico.
é quando o perfume se esbate
te bate
na memória
que o orgânico
se contorce
com os tendões
rangendo nos ossos
e o intestino
se confunde com
o esófago.
os teus olhos estão secos.

1 comentário:

cassamia disse...

...uma invasão visceral... porque os meus olhos estão secos jazzy